Quanto ganha um Bartender no Brasil?

quanto ganha o bartender

Quantas vezes você já pensou em ir para o lado de lá do bar e manusear as garrafas ao invés de só levantar copos? Pois saiba que essa é uma boa opção se você está pensando em fugir do escritório e explorar áreas menos tradicionais. O setor de alimentação fora de casa e principalmente, de bares e restaurantes especializados, está crescendo em todo o Brasil. De acordo com dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), a falta de mão de obra qualificada no setor chega a 15% e a remuneração varia entre R$ 1.000 até R$ 3.500 em média. Bartenders renomados podem chegar a R$ 6.000 ou 7.000, de acordo com o estilo da casa e a experiência adquirida. É preciso levar em consideração também a política de comissões e horas extras praticadas em cada estabelecimento.

Bartenders renomados podem chegar a R$ 6.000 ou 7.000, de acordo com o estilo da casa e a experiência adquirida.

No exterior é possível ter uma remuneração ainda maior, em torno de R$ 9.000, se considerarmos a cotação do dólar ou da libra, por exemplo, pois a profissão está muito mais consolidada e reconhecida do que em terras tupiniquins. O lado positivo? Ainda temos muito o que evoluir e construir por aqui. Confira como trilhar esse caminho: 

Iniciando a carreira

São vários os caminhos para ingressar na carreira, mas nenhum deles dispensa a capacitação. Estudar os principais ingredientes usados nas receitas clássicas e diferenciar as bebidas é a base para começar no bar. Como diria o mestre Igor Bispo, “técnica não é tudo, mas não deixa de ser importante para a formação de um bom bartender”. 

Técnica não é tudo, mas não deixa de ser importante para a formação de um bom bartender.
— Igor Bispo

Começar como bar back pode ser uma opção para se ter uma noção da rotina de um bar e do que faz um bartender. Quem começa dessas forma pode ser considerado como um estagiário na área, ou aprendiz, pois sua função será auxiliar o bartender e prover o bar com todas as ferramentas e ingredientes necessários para seu bom funcionamento. Isso inclui abastecer os baldes de gelo, lavar coqueteleiras, copos e outros utensílios de uso frequente. Isso significa que você estará na linha de frente, com vista privilegiada para toda a ação. 

Diego Bastos

Diego Bastos

Para Diego Bastos, bartender do Officina Restô Bar, iniciar como bar back ou garçon, é essencial para quem quer trabalhar atrás da barra. Ele mesmo, 4º colocado no concurso Diageo World Class Drinks 2015, o maior prêmio da coquetelaria nacional que escolhe o melhor bartender do Brasil, começou a trabalhar em navios, aos 18 anos e nunca mais parou. Conhecer bem o bar e sua dinâmica, mas sem ter a responsabilidade de gerenciá-lo é a grande vantagem de começar como assistente. É claro que o posto é importante e vital para o trabalho dos outros profissionais, então nada de levar na brincadeira. “No Officina, a equipe é muito agilizada fora do bar e eles conseguem imprimir no bar, quando é preciso, o mesmo ritmo que possuem no salão, o que é surpreendente”, analisa Diego.  

Estudar, estudar, estudar

Outra parte importante da função é a técnica e o conhecimento. Segundo o jornalista e bartender Edson Castro, um dos jurados da semi-final do último Diageo World Class Drinks e uma das cabeças por trás do site Manual do Homem Moderno, cursos e concursos que têm aparecido cada vez mais são de extrema importância para valorizar a profissão. Edson já trabalhou como bartender em Londres, na Inglaterra, e em sua opinião, o Brasil começa a dar os primeiros passos para a evolução da carreira, que lá fora já é bem mais valorizada. “Acredito que a gente tem muitos bons profissionais no mercado, que estão trazendo uma proposta de "brasileiridade" para suas criações atrás do balcão. Tanto na hora de fazer infusões e misturas com bebidas nacionais como a cachaça, como na escolha de frutas e ingredientes tipicamente brasileiros” comenta o jornalista.

Diego Bastos recomenda o mesmo e acrescenta que autoconhecimento é vital para esta área que mescla técnica e criatividade em proporções similares. “Hoje em dia a profissão está cada vez mais valorizada e a tendência é que melhore ainda mais através do reconhecimento obtido por bartenders que ganham reconhecimento. Recomendo estudo, muito estudo e saber o que quer também é fundamental. Estudar e definir seu próprio estilo são os caminhos para conseguir sucesso no bar”, complementa ele.

Acredito que a gente tem muitos bons profissionais no mercado, que estão trazendo uma proposta de “brasileiridade” para suas criações atrás do balcão. Tanto na hora de fazer infusões e misturas com bebidas nacionais como a cachaça, como na escolha de frutas e ingredientes tipicamente brasileiros
— Edson Castro

Quanto ganha um bartender afinal?

Uma das vantagens da área é poder trabalhar em eventos de forma autônoma. Eventos corporativos ou festas pagam por diária de 8 horas, que variam em torno de R$ 80 a R$ 100 para iniciantes. Já baladas e navios contratam por longos períodos e tendem a pagar melhor, além das gorjetas, dão uma boa engordada no salário no fim do mês. 

Se o que você procura é um vaga de trabalho fixo, oportunidades não faltam de norte a sul do Brasil. De acordo com sites de vagas de emprego e associações, o setor cresce e busca candidatos com nível de conhecimento inicial. Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro são os campeões no número de vagas, devido a concentração de mercado nessas regiões, mas o valor de remuneração segue a média nacional de R$ 1.000 para iniciantes. 

Na região Sul, vagas para iniciantes em Porto Alegre (RS) oferecem cerca de R$ 1.100, enquanto Santa Catarina, com suas praias movimentadas oferecem R$ 1.400 para bartenders e na exigente capital do Paraná é possível começar entre R$ 1.000 e R$ 1.200. Nas regiões Sudeste e Centro-oeste do Brasil os valores sofrem mais variações. Enquanto no Rio de Janeiro existem vagas que oferecem R$ 2.300 para preparação de coquetéis e manutenção do bar, em São Paulo, Minas Gerais e Goiânia, os valores são mais próximos de R$ 1.500. 

A costa do Norte e Nordeste, famosa em todo o país e no exterior, oferece vagas de R$ 1.000 a 2.000 iniciais, conforme a experiência e conhecimento do profissional. Também encontramos vagas em Fortaleza (CE), Salvador (BA), Maceió (AL) e Porto Velho (RO).

quanto ganha o bartender no brasil

Passo a passo para ter sucesso na carreira e aumentar a gorjeta

  • Como já dito anteriormente, o primeiro passo é procurar um curso e estudar muito. Saber inglês também é importante, porque há pouco material publicado em português sobre o assunto. Além disso, o trabalho como bartender oferece muitas oportunidades fora do país;

  • Estabelecer contatos na área é essencial. Manter um bom relacionamento e networking desde o seu curso de bartender pode facilitar sua entrada no mercado de trabalho. As redes sociais (confira as dicas sobre como impulsionar sua carreira no Facebook)  também são uma importante ferramenta para isso. Fique ligado nas novidades de bebidas, lançamentos, novos bares, casas noturnas, etc. Afinal, conversar e atender bem é parte essencial da carreira e os clientes sempre se interessam por novidades.
  • O bartender tem de ser um bom psicólogo. É um trabalho extremamente social. Gostar de estar perto de pessoas diferentes e, acima de tudo, estar preparado para interagir com clientes que passam da conta ajuda e muito. Lembre-se que você estará ali para vender seu produto e proporcionar bons momentos, e para isso, o bom contato com o cliente facilitará as vendas e ocasionará num cliente recorrente que te renderá boas gorjetas. Lembrete 2, as gorjetas podem inflar bastante seu salário ao final de um mês;
     
  • Se servir é o seu trabalho, saber quando deixar o copo vazio também é essencial. Bartenders podem se recusar a servir clientes que estejam visivelmente embriagados. É muito importante reconhecer quando um cliente já ultrapassou o seu limite alcoólico e algumas vezes haverá a necessidade de pedir para que o “bebum” vá embora. Chamar um taxi e garantir a integridade física do cliente, pode até despertar a ira dele naquele momento, mas no dia seguinte ele irá te agradecer com certeza e te reconhecer como um grande profissional;

Igor Bispo

  • Ter a aparência correta conta muito, porque o bartender trabalha em contato direto com o público e serve como vitrine. Locais descolados pedem roupas modernas, tatuagens e cabelos da moda, lugares mais formais buscam o clássico traje pinguim;

  • Ninguém consegue ser um bom bartender sem ter paladar apurado. Portanto, se não gosta de comer ou beber e não for bom na degustação, é difícil se dar bem na área. Procure conhecer o máximo de alimentos e bebidas que conseguir, para imaginar novas combinações e até oferecer alguma sugestão ao seu cliente. Teste todos os coquetéis com antecedência e prove-os;

  • Importante memorizar receitas de diferentes coquetéis e lembrar qual o pedido de cada cliente, principalmente com todos eles próximos ao balcão, para que não haja constrangimentos. Bartenders geralmente servem vários clientes diferentes ao mesmo tempo, misturar drinks e contar dinheiro e dar o troco pode virar uma rotina, portanto seja paciente e tenha foco.
Não devemos esquecer que se trata de hospitalidade e não de hostilidade. Alguns parecem confundir isso. Nossa essência é a simpatia e a hospitalidade, não a arrogância. Trabalhar atrás da barra demanda paixão e servir bem, acima de tudo.
— Diego Bastos

Para concluir, vale a análise de Diego Bastos. Com 8 anos de experiência atrás do balcão, ele lembra que: ser bartender tem sim seu lado "glamour", “mas não devemos esquecer que se trata de hospitalidade e não de hostilidade. Alguns parecem confundir isso. Nossa essência é a simpatia e a hospitalidade, não a arrogância. Trabalhar atrás da barra demanda paixão e servir bem, acima de tudo”, conclui ele.



* FONTE: Pesquisa Abrasel Brasil e Paso Educação.
** Valores salariais médios e estimados
*** Dados indisponíveis nos demais estados